sábado, 22 de agosto de 2009

Rotina Maldita


Todos os dias são iguais, a mesma velha rotina me persegue, o cansaço fisíco e emocional, a vontade incessante de que acabe o dia e que chegue logo o outro para que essa mesma vontade volte criando assim o ciclo do cotidiano infeliz e alienante, a intensa preocupação com sei lá o que. O desespero e a raiva embotida numa carcaça degastada por horas e horas de dúvidas e tormentos compulsivos.
Não sei bem o que eu busco , mas continuo "firme" nessa jornada, apenas com crises existenciais , mas querendo que apenas eu saia vivo e com o minímo de sequelas possível. Afinal de contas eu sou um humano, pecador, amante, sensível, e que teme a mim mesmo. Sou um escravo do tempo um ser idealizando demais o futuro e esquecendo que se deve viver o presente, e deve-se também aprender com o passado, mas vivo o presente como se fosse o passado e o futuro misteriosamente nunca chega.

Querer & Poder, o que quero o que posso ?

Quero sossego, quero amigos por perto, quero emoção , quero amor e necessito de briza, de ar puro, de natureza, de paz ...
Posso viver intensamente e não me render ao fracasso. Odeios pensamentos positivamente hipócritas, sou realista ao extremo o que me faz quebrar a cara a maioria das vezes.

<>THE END<>


Post realmente sem sentido assim como a vida do sujeito que aqui escreve.

3 comentários:

Maristella disse...

Não é sem sentido.
É realista. É palpável e compreensível.
Simplesmente o que você sente, o que te massacra, que tu quer por pra fora.

te cuida guri, amo você.

Gutor disse...

Às vezes as coisas q não têm sentido - ou não parecem ter - são as que mais nos chamam a atenção...
muito massa o blog, véi...

aparece no meu também: gutor.blogspot.com

abraços

Samara disse...

Pô Felipe, ké isso meu fio?? Esse
pessimismo todo, "mal-do-século" é?
Querendo jogar conversa fora, estamos aí..

O blog táh massaaaaa...

BeeijO =D