quinta-feira, 22 de julho de 2010

Apenas


Quando se tem um céu estrelado, queremos ele sem estrelas.
É natural do ser humano, é diferente e é completamente absurdo.
É uma forma de desespero, auto-aceitação, ou até mesmo egocêntrismo. Sim, egocentrismo seria a palavra adequada.
O Ego acima de qualquer outra coisa. É sempre muito e é sempre pouco o que temos. Na verdade é sempre difícil de entender. Completamente difícil.
Os interesses, as buscas, as escolhas. As alternativas são muitas , porém por mais que tenhamos 5 delas, queremos sempre a sexta. É sempre a 6ª alternativa que irá nos completar.
INSATISFAÇÃO
Engraçado como as vezes nos fechamos no nosso mundinho, não queremos nenhuma opinião de fora. Interessante que as vezes estamos tão focados nos nossos objetivos que esquecemos de respeitar o espaço do outro. É engraçado.
A liberdade de um começa e a do outro termina.
Me sinto as vezes como aqueles RATOS DE LABORATÓRIO sabe? rodando, rodando, rodando, rodando, paranóicos pra cacete. Existindo apenas por existir. Apenas cumprindo o seu papel de MERDA NENHUMA.


Somos trouxas, panacas, escrevemos para nada. Escrevemos para TUDO. Escrevemos para aliviar a dor. A pessoa que lê, lê não sei ao certo para quê... Ela pode se sentir bem, ou sentir-se horrível.
Mas apenas escrevo. TENTO.

2 comentários:

Lily Quel disse...

Eu leio pra 'tomar' um pouquinho do que os outros sentem, pois estou sempre insatisfeita com o que eu sinto sozinha, que já deveria ser o bastante!!! Acho que o 'erro' não está aí, pois a eterna busca é algo essencial para a vida ser interessante, o 'erro' é a desvalorização do que está ao nosso alcance...podemos buscar o inalcançável, sem deixar de valorizar o que está ao nosso alcance!!!

Texto fodástico!!

Alleson Sullivan disse...

cada um de nós possue momentos de reflexao, e ao momento que voce escreveu este texto, aqui está o teu momento... as vezes me sinto solitario tambem, mesmo sabendo que há pessoas ao meu lado... e mesmo sentindo o vazio dentro de mim, eu o transformo em palavras, assim como vocve o fez... e com isso, sinto-me bem com o meu proprio vaziu e faço dele minha alegria em saber que ainda posso escrever sobre sentimentos e senti-los, sejam eles bons ou ruins, gosto de senti-los cá dentro de mim... pois ai saberei que estou vivo. e aqueles que não refletem como tu, são os reais ratos de laboratorio. Beba! transe! divirta-se e sinta até que não possa mais os faze-los.


texto do caralho!!!