quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Chaves






Tenho chaves de casa
Tenho chaves do meu trabalho
Nenhuma abre o cadeado do seu coração
Posso presentear-lhe com um machado que arromba e dilata a sua vontade
Posso partir você em duas se quiser anestesiar-se das vontades insanas
Tenho um segredo para contar, mas esse segredo ficará guardado
Sei que também não queres revelar os nossos temores
Por isso aguarde até o juízo final
Te amo até não poder mais
Te quero até não saber mais o motivo
Te desejo a todo instante, e só isso é o necessário para sofrer
Sofro, porém aprendo, aprendo porém me aventuro.
Não me importo, e assim me afundo num poço de incertezas e ilusões
Eu quero acreditar, ainda que seja difícil, quero acreditar
Fecharei meu olhos , o amor é verdadeiro, mesmo que sintas que é ilusão.
Simplesmente, honestamente, quero você perto de mim !!!

7 comentários:

luizsimbolista disse...

Um tanto moderno e romântico, uma forma interessante e uma linguagem objetiva sem deixar de ser de fato lírica. Parabéns pelos versos e pelo espaço,

um cordial abraço.

Lily Quel disse...

As únicas palavras que me vieram à mente foram intensidade e violência...enfim, ótimo texto Guns!

Mari disse...

E a cada dia, você me surpreende mais.
Incrível, irreversível.

Beijos.

Alleson Sullivan disse...

cara velho. teu texto está simplesmente ultra romântico velho, palavras fortes para expressar sentimentos fortes e nada mais que anseio pelo amor estao tuas palavras...

e seu merda... quem é está mulher que está fazendo-te poeta????
me conte porra.hehehe

texto fodasss!!!! parabens!!

Paroxitonas disse...

Ficou lindo Felipe, visulamente lindo. Dá gosto de enxergar.

Gutor disse...

Fodástico!
Muito masssa mesmo.
Acho que vc encontrou seu lugar nos poemas!!!

abraços

Josy Poulain disse...

Violência Jacq? estranho, nada me veio a cabeça...
achei massa. :)

Peace,

ahh, novo blog: icanwrite.blogspot.com