quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Just more one. Love, and DRUNK life.


Acho que me tornei ímune,
eles me perguntam como, e eu apenas não sei responder.
Acho que é o convívio, a constante solidão, e a eterna companheira etílica.
- Camarada dê-me uma breja por gentileza.
- Ok amigo, aqui está.
- Caramba geladíssima, assim como minha alma... congelada, estática, ímovel (sinônimos)

Vida sem graça, vida sem milagres, vida de boêmia.
Tire-me daqui. Bobagem continuar. Continuo pois sou bobo.
Aonde vai dar?? estamos caminhado para o caos, o caos é agora, caminhamos para o nada então.

"Perco meu tempo, descubro meu pranto!
Ando tão desatento, e assim flutuo em desalento!
Solidão, desânimo. Entorpecência constante, a eterna felicidade questionável.
Ando tão a flor da pele, é... Sim... Inquestionável. Indiscutível. Incontrolável.
Amor, torpor. Sigo minhas intuições, deveres, obrigações, por que tudo isso?
Tudo negro, NOIR, Sentimentos escuros, momentos de depressão! FOSSA, é... Sim"

IN A HARD NIGHT, HARD FUCKIN´ NIGHT!!

3 comentários:

gutor disse...

UURRGGHH...
Massa. São noites assim que nos destroem, porém pode nos fazer tirar o melhor de nós também. É como podemos superar as merdas que acontecem no dia a dia: tirando o melhor das coisas, até das coisas ruins...

Parabéns pelo texto!

P.L.E

Lily Quel disse...

É como se eu estivesse lendo os poemas do mal do século...algo inspirado nos textos de Álvares de Azevedo ou Augusto dos Anjos.
Massa Felipe.
"Peace, love and empathy"

Alleson Sullivan disse...

concordo com jacque, o texto está tipicamente Romantico. o sofrimento constante, vencido pelo conformismo, a ausencia da luta estao presente no texto, realmente ultra-romatico.
interessante este trecho."Solidão, desânimo. Entorpecência constante, a eterna felicidade questionável."

Texto muito foda velho!!!!

"Peace, love and empathy."