terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Um conto e infinítas possibilidades Pt. V


Aqui está minha contribuição para o conto;

E lá andava ele, desolado, sem esperanças de que pudesse de alguma forma salvar sua família. A noite era fria, e ali sozinho ele temia de que poderia ser o fim de sua estadia na Terra. Pois sabia que sem sua família ele nada seria. Andava, e andava a caminho de lugar algum. Quanto mais mexia suas pernas mais desejava não as mexer. Era o triste fim de um homem atolado em dívidas, vícios e tormentos emocionais.

Por mais que ele se lembrasse com carinho da companhia de sua esposa Lílian e sua filhinha querida Morgana, sentia-se ainda mais preso a um passado obscuro...CRIME, CADEIA, CHANTAGENS, TRAIÇÕES... Somente o que tinha em sua cabeça era dar cabo de sua vida. Era covarde demais para continuar e lutar. Era uma vitima de seus próprios atos malignos que outrora o faziam rir. Antes era impiedoso, frio e calculista. Agora é um bebê chorão a caminho de sua residência... Ou não...

Deixo sob responsabilidade agora de Jacque para continuar.

Obs. Não deixem de conferir as outras partes.

Pt I Jacque

Pt II Gutemba

Pt III Josy

Pt IV Sullivan Cobain


3 comentários:

Lily Quel disse...

Agora que li seu post Felipe...vou trabalhar bem na minha parte e logo vou postar...esses conto tá rendendo tanto que vai virar um romance!!!
Gostei de você ter exposto as fraquezas do cara, pois até os mais frios escondem medos em seu íntimo...a única diferença é que você mostrou os pensamentos dele, e provou que todos podem ser covardes diante de seu ponto fraco!
"Peace, love and empathy"

Josy disse...

Bem sucinto.
Gostei demais...

gutor disse...

Só pra não perder o costume de comentar, quero dizer que este conto está ficando cada dia melhorr...

P.L.E