sábado, 20 de fevereiro de 2010

20 Minutos.




Os 20 minutos que levo para chegar ao trabalho pela manhã são muito preciosos. Pedalando e observando a tudo antes de chegar em um escritório e me entupir de deveres e obrigações. Sinto-me livre por apenas 20 minutos, o vento bagunçando o cabelo, a música boa aos ouvidos, os pés e mãos que não param de se movimentar, e os olhos atentos a tudo e a todos. Como gosto de observar os seres humanos, suas particularidades e bizarrices. Gosto também de observar os pássaros e todos os outros animais, eles, assim como eu, parecem que me observam também e vêem todas as minhas esquisitices. É interessante ver a cidade em crescimento (como cantava Chico Science – “A cidade não para a cidade só cresce, o de cima sobre e o debaixo desce”).
Interessante ver que todos andam tão apressadamente e assim o trânsito se torna caótico e fazendo com que ninguém mais se respeite. Vejo pessoas sentadas na beira da calçada à espera da abertura do comércio, para poderem gastar seus suados salários mínimos, ou a espera de uma oportunidade de emprego, sei lá, são várias as razões de elas estarem sentadas lá. . Observo também que pouquíssimas vezes essas pessoas estão com algum livro na mão, é a literatura cada vez mais sendo deixada de lado.
Revoltante ver pedintes, crianças de rua e mendigos jogados à margem, mais revoltante ainda é ver uma imensa desigualdade social nas ruas, uma tremenda falta de consideração para quem necessita. Falta apoio do governo e falta muita solidariedade da nossa parte para quem realmente precisa de ajuda.
Muito mais coisa se vê nesses 20 minutos... Mulheres bonitas, homens feios, gente estranha, gente simpática, vendedores ambulantes, crianças indo para a escola (bate uma saudade do caramba da minha época de guri), pessoas correndo (fazendo exercícios ou se esforçando para não chegarem atrasados ao trabalho), pessoas colocando o lixo pra fora, pessoas jogando lixo nas ruas, poluição, árvores, casais apaixonados, ônibus (como adoro olhar para dentro deles pra ver se vejo alguém conhecido e acenar). Por incrível que pareça dá para ver isso tudo em apenas 20 minutos sim...



In these 20 minutes the city seems to have no sound, just color and movement…

3 comentários:

Lily Quel disse...

Às vezes penso comigo mesma se teria alguém (no mesmo exato momento em que vou pra a faculdade e observo a vida do ônibus) que deixa de lado as suas preocupações momentâneas pra observar a vida também. Será que durante os mesmos 20 minutos há outras pessoas que te observam e te analisam assim como você faz?

Ótimo texto!

gutor disse...

Caraca, muito massa!
pensei q só eu fosse louco a esse ponto...rsrs
este texto é meio parecido com o seu e com o que Jacque disse... veja lá...

http://gutor.blogspot.com/2009/05/da-janela.html

P.L.E

Josy disse...

Acho que ultimamente eu tenho observado mais que analisado. Mas a vista da janela do ônibus sempremuda alguma coisa em mim durante os 40 minutos diários em que observo.

Ótimo texto.